Usina Pernambucana de Inovação premia ações inovadoras de órgãos públicos

by Iuri Macedo Moreira
04/11/2022 16:13
157 Views

O auditório da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) no Recife Antigo recebeu, na tarde desta sexta-feira (4), a segunda edição do Prêmio Usina Pernambucana de Inovação. A iniciativa busca mapear e reconhecer ações inovadoras desenvolvidas nos órgãos públicos localizados em Pernambuco, premiando os projetos que estejam em execução ou finalizados. O PUPI tem como órgãos executores, além da Secti, as Secretarias de Administração de Pernambuco (SAD) e de Planejamento e Gestão de Pernambuco (SEPLAG). Para esta edição participaram 14 instituições públicas – entre autarquias, secretarias, universidades, entre outros – totalizando 40 projetos inscritos, 25 validados e 216 servidores envolvidos no certame. Foram premiados três projetos no total.

Em primeiro lugar, levou a Secretaria Municipal de Administração do Município de Jaboatão dos Guararapes com o projeto “Sistema de Governança Institucional da Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes”. O SGI é uma solução de gestão de processos que automatiza e controla todo o fluxo dos processos de licitação e contratos do município, tornando o processo de licitação e formalização contratual 100% digital e rastreável até o final da gestão, incluído a fase de publicação.

Já a segunda colocação ficou Companhia Pernambucana de Saneamento – COMPESA com o “EnergIA no Alvo”. Trata-se de uma inteligência artificial (IA) que permite analisar cenários de bandeiras tarifárias e prever as informações chave para um período de até 12 meses adiante. Assim, ataca-se o custo de Energia Elétrica, que está no Top 3 dos custos empregados para prestação de serviço de Abastecimento de Água, podendo reduzir os custos da companhia em até R$ 214 mil por ano.

A terceira colocação ficou com a Secretaria de Administração do Estado de Pernambuco – SAD e seu “Acompanhamento de Gestão Contratual”. A Gerência de Padronização e Controle das Contratações Públicas do orgão, utilizando-se do sistema de gerenciamento de banco de dados da Microsoft, Access, criou e implantou um modelo de banco de dados relacional para acompanhar e apoiar os órgãos e entidades na gestão contratual. Ao permitir a substituição do controle limitado, repetitivo e por muitas vezes trabalhoso realizada através de planilhas eletrônicas utilizadas pelos servidores responsáveis pela gestão contratual, a solução possibilita uma gestão mais efetiva, simples e segura dos contratos.