Secretário apresenta Marco Legal na AMCHAM Brasil – Recife

11 fevereiro 2019
194 Views
Comments are off for this post

Evento aconteceu na sede da instituição, no Pina

O Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Aluísio Lessa, participou nesta segunda-feira (11), de uma reunião na AMCHAM Brasil – Recife, no Pina, para apresentar o Marco Legal de CT&I e as novas perspectivas para o setor produtivo. Na ocasião, Leonildo Sales, secretário executivo da pasta, também esteve presente.

“O papel do estado é integrar, juntar, não só a equipe do governo, mas a sociedade que trabalha nas áreas específicas. Temos muitos atores importantes na área de ciência e tecnologia que são estratégicos e servem para desenvolver as áreas produtivas da economia de Pernambuco”, disse Lessa, ao destacar que, na AMCHAM, a ideia era fazer uma integração entre governo, universidade e empresas com o intuito de se desenvolver um trabalho na mesma direção e na produção de riqueza aproveitando, assim, todas as oportunidades oferecidas pela economia, por meio de incentivos fiscais.

“O objetivo é promover o melhor ambiente de negócios para as empresas que estão situadas nas cidades onde temos atuação com a ANCHAM. Nos entendemos que a promoção desse diálogo privado e público é bastante importante e faz parte do nosso papel como representantes do empresariado privado de todos os setores”, disse Alessandra Andrade, Superintendente da ANCHAM Regional – Recife, ao destacar que, a associação é multissetorial e, por isso, a importância da promoção desse diálogo para que o poder público entenda quais são as demandas do empresariado privado bem como o  empresariado privado possa, também, ouvir do poder público quais são as iniciativas e o que se pretende para que por meio desse diálogo a gente possa promover a melhoria do ambiente de negócios.

Marco Legal de CT&I de Pernambuco – A nova legislação busca modernizar a gestão da CT&I em Pernambuco e alinhar a política estadual ao Marco Legal Nacional de CT&I.

Entre os principais aspectos da nova legislação estão o estímulo à cooperação entre os setores público e privado, com vistas à promoção de avanços em CT&I, o estabelecimento de um novo modelo de implementação das políticas de CT&I, onde o foco passa a ser o do resultado mediante sistemáticas de avaliação e monitoramento, e o fornecimento de mecanismos que permitem a participação de universidades, centros de pesquisas público-privado e empresas no processo de inovação.

A nova lei tem um capítulo dedicado as startups, favorecendo a criação de estímulos para inovação e difusão dessas empresas inovadoras.