Forma.AI

Programa de Capacitação em Habilidade do Futuro

O Programa de Capacitação em Habilidade do Futuro – Forma.AI é o maior programa estadual de formação de pessoas para as habilidades de futuro estruturado para aprimorar a qualificação de recursos humanos em diferentes níveis de educação, de forma acelerada e  preferencialmente nos segmentos de maior intensidade tecnológica nas áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharias, Matemática e Computação (STEM+C – sigla originada do inglês Science, Technology, Engineering, Mathematics and Computing) que atenda às necessidades do mercado de trabalho, e, ao mesmo tempo, amplie as perspectivas profissionais e possa contribuir para mudanças na estrutura produtiva e social do estado.

O programa atende às metas estabelecidas pela Estratégia de Ciência, Tecnologia e Inovação (2017-2022) de Pernambuco que define como prioridades, entre outros pontos, o desenvolvimento de talentos e criatividade, assim como a expansão da economia digital no estado de Pernambuco.

O Formai.AI impulsiona ainda criação e difusão de ambientes de aprendizado estimuladores da produção de ideias e cultura da inovação e empreendedorismo, integrando escolas, Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs) e empresas; o fortalecimento e expansão das atividades de difusão científica e da hipercultura; a aceleração da inovação nas atividades econômicas; e o apoio ao desenvolvimento da inovação inclusiva.

Considerando o potencial de uma rede de instituições de ensino superior com as universidades, autarquias municipais de ensino superior e diversas faculdades e centros universitários parceiros, bem como uma rede com 50 Escolas Técnicas Estaduais (ETEs) e quase 400 Escolas de Referência de Ensino Médio (EREMs) distribuídas por todo o estado.  O modelo do programa foi pensado para abarcar, com velocidade, a pluralidade de tecnologias habilitadoras exigidas pela Nova Economia, de forma dinâmica e construindo competências e habilidades. O programa será decisivo ainda para reduzir a evasão de profissionais pernambucanos qualificados, garantindo competitividade às diversas cadeias produtivas locais.

O Forma.AI é composto por sete projetos: Programa de Residências Tecnológicas (Resitec), Programa de Extensão Tecnológica (PET), PET Social Code, Negócios 4.0, Programa.AI, Prouni-Stricto e Train The Trainers, todos desenvolvidos para atender as necessidades específicas de cada público-alvo. Também são decisivos para reduzir a evasão de profissionais pernambucanos qualificados, garantindo competitividade às diversas cadeias produtivas locais.

Até 2022, serão beneficiados espera-se beneficiar com o Forma.AI, diretamente, mais de 11 mil pernambucanos, entre estudantes técnicos do ensino médio, de graduação e de pós-graduação, professores de ensino técnico e superior, empreendedores e trabalhadores do setor privado, através dos seus subprogramas e projetos, buscando dar um foco prioritário à questão da ciência reforçando a economia do conhecimento. Estima-se que os projetos alcançarão, indiretamente, mais de 44 mil pessoas.

Programa de Residência Tecnológica - RESITEC

O RESITEC visa capacitar ou reposicionar profissionais formados em áreas STEM+C em nível de pós-graduação (lato sensu) a partir de parcerias envolvendo Instituições Científica, Tecnológica e de Inovação do Estado de Pernambuco (ICTs-PE) e empresas, integrando a academia às empresas, com formação qualificada de recursos humanos de alto nível e provendo soluções inovadoras na resolução de problemas reais, com foco na transformação digital das empresas localizadas no estado de Pernambuco.

As residências tecnológicas tem duração média de 6 meses e formam profissionais em regime de dedicação integral, em uma ou mais tecnologias habilitadoras pré-definidas, mesclando atividades acadêmicas e atividades de desenvolvimento, coordenadas por um Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT) proponente em parceria com uma empresa, através de um professor coordenador vinculado e indicado pela ICT.  Para isso, são formadas turmas que podem ter de 10 a 30 alunos e suas atividades devem acontecer no ICT e na(s) empresa(s) parceira(s). Os alunos podem ser funcionários de empresas ou bolsistas selecionados via chamada pública, podendo, os bolsistas, serem absorvidos pelas instituições promotoras, ou pelo mercado de trabalho ao final da residência tecnológica.

O programa é executado por meio de editais da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco (Facepe) com a disponibilização de bolsas de PD&I, com recursos não reembolsáveis, para os residentes bolsistas das propostas selecionadas a partir dos editais.

Programa de Extensão Tecnológica (PET)

O Programa de Extensão Tecnológica (PET) é formado por jornadas que visam contribuir para a capacitação de recursos humanos em nível de ensino médio, técnico e de graduação do Estado de Pernambuco. As jornadas dos PETs serão executadas por parcerias envolvendo Instituições de Ensino do Estado de Pernambuco (Instituições de Ensino Superior, Escolas Técnicas Estaduais de Educação ou Escolas de Referência de Ensino Médio) e empresas, com objetivo de  capacitar recursos humanos de forma acelerada, a fim de resolver problemas que atendam às necessidades das empresas de forma inovadora, preferencialmente nos segmentos de maior intensidade tecnológica, contribuindo para mudanças na estrutura produtiva e social do estado.

Além do treinamento, os estudantes selecionados participam de atividades de extensão nas empresas conveniadas para que possam aprimorar os seus conhecimentos técnicos e executar atividades com problemas reais visando contribuir com soluções que aumentem a competitividade dessas empresas.

As jornadas serão coordenadas por um professor integrador da instituição de ensino (IE) e terá pelo menos uma empresa parceira. O professor integrador receberá uma bolsa durante 4 meses para desenvolver e acompanhar todas as atividades definidas na proposta selecionada pelo Programa. As propostas devem atender preferencialmente um setor econômico com aderência territorial à Região de Desenvolvimento selecionada e deverão utilizar pelo menos uma tecnologia habilitadora, selecionadas através de editais específicos.

Cada jornada PET será realizada em 4 meses e será composta de duas etapas:

  1. Capacitação: formatação do curso de capacitação, seleção dos estudantes e execução de curso de capacitação que poderá ser realizado com turma de até 50 alunos selecionados;
  2. Atividade de extensão: realização de atividades e desenvolvimento do projeto de extensão nas empresas pelo período de três meses com os 10 alunos com melhor desempenho na etapa de capacitação. Nesta segunda etapa, os 10 alunos receberão bolsa para desenvolvimento do projeto de extensão.

Os alunos participantes serão devidamente certificados pelas respectivas instituições de ensino (ETEs, EREMs, IES) nos cursos de capacitação se aprovados com sucesso. Aqueles que participarem da terceira etapa também receberão uma certificação da atividade de extensão.

PET SOCIALCode

O PET SOCIALCode é uma linha especial do PET desenvolvida em colaboração com a Qualiti Innovative Learning (www.qualiti.com.br), para aumentar a empregabilidade dos bolsistas contemplados pelo Programa Pernambuco na Universidade – PROUNI-PE. O SOCIALCode é um curso de formação acelerada e alinhada às reais necessidades do mercado de trabalho em Tecnologia da Informação, para que estudantes de áreas afins possam se inserir no mercado de trabalho com competências e habilidades (soft e hard skills) inerentes ao desenvolvimento de soluções e com capacidade de reagir às mudanças.

O curso apresenta um modelo de aprendizagem baseado na sinergia de metodologias ativas. A primeira edição do programa foi disponibilizada de forma gratuita para os alunos selecionados do  PROUNI-PE, considerando os cursos aderentes ao programa. O programa contará com duas etapas, a primeira será de capacitação acelerada de 40 horas distribuídas em 5 semanas para 30 alunos, e na segunda etapa 10 alunos com melhor desempenho no curso serão encaminhados para participarem de programas de estágio supervisionado, com duração de 6 meses nas empresas parceiras do Porto Digital e do SOFTEX. O programa tem potencial de escala e beneficiará 30 bolsistas, tendo início em junho de 2021.