Secti reúne coordenadores dos projetos aprovados no PET para início das atividades

by Ailton Pedroza
3 meses ago
101 Views

Secti reúne coordenadores dos projetos aprovados no PET para início das atividades

O encontro foi realizado de forma virtual com os coordenadores dos projetos aprovados no edital. Durante o encontro
foi possível tirar dúvidas e estabelecer cronogramas para início das capacitações e demais atividades do programa

A coordenação do Programa de Extensão Tecnológica (PET) da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), executado em parceria com a Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe), realizou na tarde desta sexta-feira (10/09) um encontro virtual com os coordenadores dos projetos aprovados no edital. Durante o encontro foi possível tirar dúvidas e estabelecer cronogramas para início das capacitações e das demais atividades do programa. No final da execução, o programa terá capacitado cerca de 5.500 jovens em todo estado de Pernambuco.

O PET soma investimentos de R$ 2,6 milhões de reais para formação de capital humano qualificado, através do desenvolvimento dos projetos de extensão tecnológicos, que serão executados junto às empresas pernambucanas, alinhando a formação com as necessidades do mercado.

Serão promovidas jornadas de extensão tecnológica de 4 meses de duração. A primeira etapa, com turmas de até 50 alunos, capacitará os estudantes em pelo menos uma tecnologia habilitadora de futuro. E em uma segunda etapa, até 10 estudantes serão selecionados para desenvolverem as atividades de extensão tecnológica nas empresas envolvidas, sob orientação de um professor. Os professores coordenadores receberão bolsas da Facepe no valor de R$ 2.200,00 por quatro meses e os alunos selecionados vão contar com auxílio de R$ 500,00 por três meses.

O secretário-executivo de Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonildo Sales, destacou a durante a abertura do encontro a importância do programa, sobretudo nesse momento econômico, para uma significativa parcela da sociedade se encontra na faixa de jovens economicamente ativos. “Em tese essa parcela da sociedade tem maior facilidade de adaptar e se qualificar, ou até mesmo se requalificar, para encarar as constantes mudanças do mercado de trabalho. Não podemos perder esse time”, ressaltou.

“O PET mais do que um programa de formação de estudantes em tecnologias habilitadoras, promove a aproximação e integração dos estudantes, instituições de ensino, governo e empresas. É um inovador programa, que visa, sobretudo, acelerar a formação de recursos humanos qualificados e competitivos. Outro ponto importante é o seu caráter inclusivo, pois abrange todas as regiões de desenvolvimento de PE, dando oportunidade para todos os jovens do nosso Estado.” complementou Leonildo.

O PET é voltado para estudantes de graduação de Instituições de Ensino Superior (IES) de Pernambuco e de Ensino Técnico e Médio nas Escolas Técnicas Estaduais (ETEs) e Escolas de Referência de Ensino Médio (EREMs), juntamente com empresas das cadeias produtivas de maior participação no Produto Interno Bruto (PIB) do Estado.

Dos 90 projetos, 15 são de escolas públicas estaduais, que compõem a rede de Escolas Técnicas Estaduais (ETEs) e Escolas de Referência de Ensino Médio (EREMs). Serão beneficiadas 767 pessoas, entre estudantes e professores da rede pública de ensino.

O diretor de Ambientes de Inovação e Formação Superior da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Carmelo Bastos, explicou que o PET faz parte das ações a da estratégia de CT&I de Pernambuco e que busca dar maior competitividade aos jovens pernambucanos. “A Iniciativa aprimora o nível de conhecimento dos estudantes”, afirmou.

“Com o início do PET, surge em todo o estado iniciativas que visam estimular o desenvolvimento de competências em tecnologias portadoras de futuro. As iniciativas estão espalhadas do cais ao sertão e envolvem jornadas de formação e inovação em todos os setores relevantes do estado”, concluiu.

Os setores econômicos considerados nesta primeira chamada foram o Agronegócio e Laticínios; Biotecnologia e Saúde Digital; Comércio, Serviços e Turismo; Confecções e Moda; Construção Civil e Infraestrutura Urbana; Eletroeletrônicos; Metal Mecânica; Energia Renovável e Sustentabilidade; Gesso e Novos Materiais; Governo Digital e Inclusão Social; Indústria de Transformação; Logística e Portuária; Tecnologia e Informação e Comunicação. A lista completa dos projetos aprovados pode ser acessada neste link, ou no site da Facepe (www.facepe.br).