Secti e UPE lançam Projeto Nordeste 4.0 junto com Sudene

by Ailton Pedroza
2 semanas ago
132 Views

Sudene, Secti e UPE coordenam o projeto, que vai beneficiar 7 estados do Nordeste, e que teve como ação piloto o apoio em indústrias de Pernambuco

O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco, Lucas Ramos, participou, na tarde desta quarta-feira (17/02), do anúncio do Programa de Revitalização da Indústria Nordestina – NE 4.0. A ação é uma articulação da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco (Secti-PE), junto a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE) e a Universidade de Pernambuco (UPE), e consistem em um desdobramento das ações praticadas em Pernambuco para apoiar unidades industriais do estado, no processo de transformação digital.

O NE4.0 pretende estender as iniciativas realizadas em Pernambuco para os seguintes estados da Região Nordeste: Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte e Sergipe. Serão beneficiadas 40 indústrias da região, 80 gestores industriais e ainda 40 alunos de pós-graduação, selecionados por meio de edital público, que receberão bolsas de R$ 1.800 reais, durante seis meses.

O programa consiste na análise e aplicação de diagnóstico de capacidade da indústria 4.0, e na execução da residência tecnológica em quatro polos: Alagoas/Sergipe; Ceará, Paraíba/Rio Grande do Norte; e Bahia e Pernambuco (na região do Sertão). Ao final serão desenvolvidos projetos de manufatura avançada (Indústria 4.0) para as empresas participantes.

Cada empresa disponibilizará dois funcionários que participarão da residência tecnológica. As aulas ocorrerão em cada polo com a supervisão da Escola Politécnica de Pernambuco (POLI/UPE). As atividades, em cada polo participante, ficarão a cargo de instituições parceiras (Instituto Metrópole Digital – IMD, a Fundação Parque Tecnológico da Paraíba – PaqTcPB, a Universidade Federal de Alagoas – UFAL, a Universidade Federal de Sergipe – UFS e a Universidade Federal do Ceará – UFC).

O secretário de CT&I, Lucas Ramos, destacou a oportunidade de uma nova perspectiva na formação de pessoas. “Os participantes vão fomentar o diagnóstico dessas empresas, identificando assim, de forma estratégica, os gargalos desses setores. Só assim podemos traçar as melhores resoluções para os problemas encontrados, e com o apoio da academia, poderemos buscar essas soluções, para dar maior competitividade e destaque no mercado, para as indústrias participantes”, ressaltou.

Lucas expressou ainda satisfação em ter a Sudene como parceira do NE 4.0. “Mais uma vez entregamos ações em parceria, em um caminho natural para execução desse trabalhos conjuntos. Estamos vendo uma inciativa local se transformar em política pública regional, quiçá nacional, que vai promover desenvolvimento econômico e social”, disse.

Para o diretor da Escola Politécnica de Pernambuco (POLI/UPE), José Roberto, está na hora da indústria, principalmente a do Nordeste, se familiarizar com as tecnologias vigentes do mercado. “Em todo Brasil o setor de serviços e comércio já alcançou digitalização de seus serviços. Agora é a vez da indústria, que ainda está muito atrasada nesse quesito, seja por falta de conhecimento ou por falta de sensibilização junto aos empresários. A gente precisa difundir essa cultura 4.0, sobretudo no Nordeste, para fortalecer o setor”, afirmou.

Segundo o superintendente da Sudene, Evaldo Cruz Neto, é necessário avançar na digitalização dos serviços na indústria do Nordeste. “Assim como o PE4.0, a gente agora avança para outros estados da região, nesse desafio que é abrir os olhos da indústria para o futuro, auxiliando o setor para entrar em um patamar de tecnologia que o momento exige. Essas transformações aconteceram de forma muito aceleradas, por conta da pandemia, e a tendência é que esse aceleramento permaneça de forma crescente, daí a necessidade de fomentar a transformação digital nesse setor, explicou.