Academia Pernambucana de Ciências se manifesta sobre o pronunciamento do presidente Bolsonaro

by Ailton Pedroza
1 semana ago
51 Views

“A ciência e os avanços da Medicina não podem ser ignorados neste momento de preocupação do pessoal de saúde, dos cientistas e de todo povo brasileiro”, afirma a entidade em nota

Leia abaixo a nota na íntegra:

NOTA DA ACADEMIA PERNAMBUCANA DE CIÊNCIAS (APC) PELO PRONUNCIAMENTO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA JAIR BOLSONARO EM 24/03/2020

A Academia Pernambucana de Ciências (APC), entidade que congrega 85 cientistas de diversas áreas do conhecimento em Pernambuco, repudia veementemente a orientação central do pronunciamento feito pelo atual Presidente da República, Jair Bolsonaro, em rede nacional, referente a COVID-19, uma pandemia que já ceifou e continua ceifando milhares de vítimas nos diversos países onde está presente, inclusive no Brasil. O Presidente da República, desrespeitando diretivas de seu atual Ministério da Saúde convocou a população a voltar à vida normal, quebrando a diretriz central da Organização Mundial de Saúde (OMS): primeiro a vida e como consequência manter a população em casa, reduzindo o ritmo do contágio para que os casos graves possam ser tratados tendo em vista a capacidade de atendimento da rede disponível, que está sendo ampliada.

A ciência e os avanços da Medicina não podem ser ignorados neste momento de preocupação do pessoal de saúde, dos cientistas e de todo povo brasileiro.

Repudiamos, portanto, as orientações dadas pelo Presidente da República e recomendamos que a população siga as recomendações que derivam das diretrizes da OMS e dos cientistas brasileiros que vinham sendo mobilizados pelo Ministério da Saúde e ouçam os brasileiros que estão na ponta e cuidando do problema, sentindo a realidade da situação do nosso sistema de saúde que começa a receber os pacientes acometidos pela COVID-19.

Um debate paralelo, mas submetido à prioridade à saúde, será o das medidas necessárias para que os impactos econômicos e sobretudo sociais deste período de redução drástica da atividade econômica sejam enfrentados e neles, também, o papel dos Governos – em especial do Governo Central – é estratégico. A maioria dos países do mundo está seguindo este roteiro e o Brasil tem como enfrentar este segundo desafio.

Elogiamos e apoiamos o papel que os órgãos de comunicação vêm desempenhando na transmissão da informação à população, mas criticado pelo Presidente da República, e antecipamos nosso reconhecimento e agradecimento aos profissionais da saúde que estão desde o início arriscando suas vidas e trabalhando incansavelmente.

Contrariamente às recomendações da OMS, baseadas em evidências científicas e ao comportamento adotado por todos os países afetados pela pandemia, o pronunciamento do Presidente da República, além de menosprezar todas as recomendações, contribui para a desmobilização da população, ao mesmo tempo em que expõe milhares de brasileiros a riscos de vida desnecessários.

Defendemos firmemente que os brasileiros não envolvidos em atividades essenciais “fiquem em casa”, e sigam as orientações das autoridades em saúde e sanitárias, que são baseadas em evidências científicas e no histórico recente da doença em outros países. Vamos vencer mais esta situação. Certamente venceremos o coronavírus com o conhecimento científico desenvolvido no Brasil e no mundo, é uma questão de tempo.

José Antônio Aleixo da Silva
Presidente da APC