Setor de tecnologia em Pernambuco é destaque em pesquisa sobre competitividade regional

by Ailton Pedroza
2 meses ago
128 Views

O levantamento foi realizado no final de 2019 e divulgado recentemente pela gerência Recife da Câmara Americana de Comércio para o Brasil (Amcham-Recife).

Na pesquisa, Pernambuco foi apontado como o Estado mais competitivo do Nordeste, concentrando 46% das respostas, seguido por Ceará (30%), Bahia (22%) e Rio Grande do Norte (1%). O destaque foi por conta do setor de tecnologia que foi colocada como vantagem competitiva por 56% dos empresários da região.

Para 2020 a pesquisa aponta ainda que as empresas desejam expandir seus negócios em áreas como; expansão operacional (35%), seguida por pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e serviços (23%) e produtividade (18%).

Polos de tecnologia como Porto Digital, Instituto de Tecnologia de Pernambuco – Itep e o Parqtel, aliados a uma cadeia de ensino superior voltadas para a formação de mão de obra qualificada, focada nas necessidades do mercado local (Universidade de Pernambuco – UPE e as instituições federais IFPE, UFPE e UFRPE), são alguns dos elementos que possibilitam o destaque de Pernambuco no setor de tecnologia.

Existem ainda grandes centros de tecnologia privados em todo território do estado estimulando atividades de pesquisa e desenvolvimento nas mais diversas áreas. A exemplo da Accenture, Inloco Media, Centro de Estudos e Soluções Avançadas do Recife – CESAR, Instituto Tecnológico Edson Mororó Moura – ITEMM, Monsanto, Instituto Senai, entre outros.

A Facepe também tem papel fundamental na construção desse ambiente de tecnologia e inovação identificado pela pesquisa. O fomento público estadual (que aqui vale salientar o esforço recente do Governo do Estado em ampliar os investimentos em CT&I), que tem como principal objetivo financiar Micro e Pequenas Empresas e Empresas de Médio Porte em projetos de modernização e inovação, em parceria com alguns instrumentos federais de fomento à inovação, incentivando o desenvolvimento de novos processos e produtos no território estadual, seja diretamente pelas empresas beneficiárias dos programas de benefícios fiscais ou por meio de parcerias entre estas e universidades e institutos de pesquisa localizados em Pernambuco.

Esse adensamento de instituições é chamado de Sistema Pernambucano de inovação – Spin. A caracterização do Sistema Pernambucano de Inovação (SPIn) envolve a identificação do conjunto de fatores, funções e atores componentes que se dedicam à produção, apropriação, difusão e uso de inovações no estado.