• Confira o vídeo institucional dos 30 anos da Secti

    28 dezembro 2018
    628 Views
    Comments are off for this post

    Sendo uma das primeiras secretarias exclusiva para o fomento da CT&I implantadas no país, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Governo do Estado de Pernambuco (Secti) completa 30 anos de existência em 2018. Uma iniciativa pioneira no final dos anos 1980 que evoluiu sobremaneira ao longo das últimas década incluindo nesse bojo a criação da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia (FACEPE), a Universidade de Pernambuco (UPE) e a Empresa Pernambuco de Comunicação (EPC) com a TV pública do estado (TVPE), além da estruturação do Espaço Ciência e do Parque Tecnológico de Eletroeletrônicos e Tecnologias Associadas (Parqtel). Destacando-se também o fomento a outros habitats de inovação como o Porto Digital e o Instituto Tecnológico de Pernambuco (ITEP), através de contratos de gestão.

    Entre as principais competências da Secti estão: formular, fomentar e executar as ações de política estadual de desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação; promover e apoiar ações e atividades de difusão e incentivo à ciência, de ensino superior, pesquisa científica e extensão; criação e consolidação de ambientes e empreendimentos para promoção da inovação; além ampliação e interiorização da base de competências científicas, tecnológicas e para inovação do Estado.

    Nos últimos anos a Secti coordenou a elaboração da Estratégia de Ciência, Tecnologia e Inovação para Pernambuco (2017-2022), reestruturou programas de incentivo e interiorização do ensino superior e da inovação, iniciou a implantação da Rede Pernambucana de Pesquisa e Educação (REPEPE), direcionou ações no sentido de preparar o estado aos novos desafios da transição digital e tecnológica em curso no mundo e aprovou o novo Marco Legal para CT&I que cria condições, simplifica e acelera o processo de inovação como vetor do desenvolvimento de Pernambuco no novo ambiente de competição global.

    Leia Mais
  • Prepare-se: mais de vinte oficinas movimentarão o Espaço Ciência no mês de janeiro

    28 dezembro 2018
    358 Views
    Comments are off for this post

    Contagem regressiva para as férias no Espaço Ciência: a partir do dia 2 de janeiro, mais de vinte oficinas movimentam o Museu, além das atrações permanentes. Têm opções para todos os gostos: jogos com matemática; experimentos interativos com Química e Física; atividades em biologia e astronomia; arte e brincadeiras populares; e mais uma edição do VEG Ciência, demonstrações culinárias de alimentação saudável.

    CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA

    Para participar das oficinas, não é necessário se inscrever. Basta chegar um pouco mais cedo e pegar uma senha na Recepção. O Espaço Ciência funciona de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h às 17h; e nos sábados e domingos, das 13:30h às 17h.

    Quem gosta de matemática pode, por exemplo, montar e brincar com poliedros e com Tangram; desvendar como se monta o Cubo Mágico; ou participar de jogos com as quatro operações. Na área de Química, dá pra se divertir com a investigação de um crime, aprender sobre a borracha sintética enquanto produz uma geleca científica ou participar de experimentos interativos.

    O meio ambiente é o foco de várias oficinas: sobre biomas do Nordeste, insetos ou minerais por exemplo. E os visitantes podem, ainda, aprender a transformar óleo vegetal descartado em sabão, a produzir um bioplástico ou a fazer um minhocário com lixo orgânico.

    Acessibilidade e inclusão pautam a oficina “Leitura pelas mãos”, na qual os participantes aprenderão um pouco sobre o braille. Quem gosta de arte, poderá conhecer sobre o Movimento Armorial e, para a meninada, nada melhor que redescobrir algumas brincadeiras tradicionais como peteca, pular corda, boca de forno, sete pecados, morto-vivo ou corrida de saco.

    Os fãs da Astronomia e Astronáutica podem construir e lançar foguetes, feitos com garrafa pet, ou aprender sobre o funcionamento dos telescópios. Há opções também para quem gosta de Robótica ou quer ter as primeiras noções de criação de jogos digitais.

    Outra boa dica é o Veg Ciência, que chega a sua 4ª edição e compõe a programação de férias a partir da segunda quinzena de janeiro. São demonstrações culinárias e bate-papo sobre alimentação saudável com professores e alunos da Pós-Graduação em Gastronomia Vegana da Faculdade Santa Helena, parceira do Espaço Ciência.

    Além das oficinas, o visitante também tem à sua disposição todas as atrações permanentes do Museu: experimentos, exposições, Planetário, Giroscópio, passeio de barco, e muito mais. (CONHEÇA O MUSEU)

    CONFIRA AS OFICINAS: 

    1. Brincando com as operações: A oficina tem como objetivo fazer com que os participantes forcem a mente para resolver pequenos questionamentos matemáticos com as quatro operações.
    2. Lançamento de Foguetes: O objetivo é construir um foguete a base de água com garrafa pet e papelão; e lançá-lo.
    3. Na Trilha dos Biomas: Que tal conhecer os tipos de solo, a vegetação e os biomas do Nordeste?
    4. Vida de Inseto: Vamos conhecer algumas espécies de insetos e seu importante papel na natureza. Além de conhecer espécies vivas, os participantes vão confeccionar seu inseto com materiais reciclados.
    5. Revivendo o Movimento Armorial: A oficina traz consigo a proposta de um processo criativo inspirado no próprio Movimento Armorial.
    6. Maker: A oficina pretende trabalhar com a plataforma edulivre e cultura maker
    7. Leitura pelas Mãos: A oficina ensinará como o braille funciona e tentará abrir as mentes para que possamos nos adaptar às diferenças.
    8. Fazendo Sabão: A oficina tem como objetivo mostrar como fazer sabão com óleo usado de cozinha.
    9. Geometria Espacial: O objetivo da oficina é a compreensão das propriedades básicas das figuras planas e dos sólidos geométricos, a partir da montagem de poliedros.
    10. Desvendando a ciência com experimentos: A oficina pretende demonstrar alguns eventos ou reações que acontecem constantemente ao nosso redor
    11. Montando Robô: A oficina será voltada para o aprendizado e aproximação dos alunos com a área de robótica.
    12. Vamos Brincar na Rua?: O objetivo é restaurar a prática de antigas brincadeiras, como jogo da peteca, pular corda, boca de forno, sete pecados, morto-vivo, corrida de saco…
    13. Se virando para se divertir com a ciência: a oficina consiste de alguns experimentos e atividades lúdicas, para resolver alguns problemas de maneira mais fácil e mais divertida.
    14. Bioplástico: A oficina consiste em uma discussão sobre o consumo de plásticos e seus impactos no meio ambiente, por meio da confecção de um bioplástico
    15. Palavras Cruzadas: O objetivo da oficina é levar os participantes a solucionarem um caça palavras gigante respondendo perguntas científicas.
    16. CSI – Investigação: Os participantes serão detetives na investigação de um crime com uso da Ciência, sobretudo da Química
    17. Geleca Científica: Os participantes poderão aprender a história da criação da borracha sintética e suas características químicas enquanto produzem sua própria Geleca
    18. Resolvendo o Cubo Mágico: A oficina tem o objetivo de ensinar as pessoas a resolverem o cubo magico utilizando algoritmos e métodos matemáticos.
    19. Química nas Férias: A oficina mostra que a química está presente em , com experimentos feitos com materiais simples e de fácil acesso
    20. Tangram de Papelão: A oficina leva os visitantes a trabalhar o raciocínio lógico matemático de percepção de figuras geométricas e topologia
    21. Como Funciona o Telescópio?: Os visitantes poderão entender como funciona o telescópio e sua importância para as descobertas da astronomia.
    22. A dinâmica do Planeta: A oficina consiste em retratar os diferentes tipos de minerais do planeta e como eles são formados.

    Oficinas do Final de Semana 12 e 19/01 (Sábados)

    1. Reciclagem de Óleo: O objetivo da oficina é ensinar os participantes a fazer o seu próprio sabão reciclando o óleo vegetal.
    2. Oficina Construção de um Minhocário: O objetivo da oficina é fazer com que os participantes diferenciem o material orgânico do inorgânico, com elaboração de um minhocário simples e eficaz.
    Leia Mais
  • Secti e IMIP firmam parceria

    27 dezembro 2018
    357 Views
    Comments are off for this post

    Termo de cooperação técnica foi assinado nesta quinta (27)

    Um termo de cooperação técnica foi assinado nesta quinta-feira (27), entre a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), por meio do Parque Tecnológico de Eletroeletrônicos e Tecnologias Associadas do Estado de Pernambuco (Parqtel), e a Faculdade Pernambucana de saúde do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueiras (IMIP), por meio do Centro de Inovação em Saúde e Educação (FOZ).

    “Concretizamos a ideia dos que fazem as instituições que é intensificar parcerias para promover a inovação em Pernambuco. No estado temos serviços de alta qualidade e temos, também, atores importantes para promover uma agenda moderna e diversificada. Porém, ninguém faz isso sozinho. É cada vez mais difícil e caro uma instituição acreditar que pode fazer tudo sozinha. Por isso, temos que acelerar o processo de aproximação entre os atores que podem contribuir para o desenvolvimento local”, disse a secretária, Lúcia Melo, ao destacar a criação da Estratégia de Ciência, Tecnologia e Inovação criada para servir como norte das ações até 2022.

    Com a assinatura do termo será possível promover integração e compartilhamento de infraestrutura tanto do Parqtel, quanto da FOZ/IMIP “Projetos incubados na FOZ, por exemplo, poderão utilizar os equipamentos de manufatura avançada instalados no Parqtel e vice-versa”, explicou o coordenador de incubação do Parqtel, Felipe Sabat.

    Leia Mais
  • Paulo Câmara inaugura Instituto de Inovação Tecnológica da UPE no Parqtel 

    18 dezembro 2018
    529 Views
    Comments are off for this post

    O evento ocorreu em meio às comemorações de 30 anos da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado

    O governador Paulo Câmara comandou, nesta terça-feira (18.12), a inauguração do Instituto de Inovação Tecnológica da Universidade de Pernambuco (IIT/UPE), situado no Complexo do Parque Tecnológico de Eletroeletrônicos (Parqtel), no Recife. Com um investimento de R$ 6,9 milhões, o Instituto visa promover a inovação através da pesquisa, buscando a interação entre a universidade e a indústria local. Na ocasião também foram lançados dois novos programas e sancionado o projeto de Lei Complementar que institui o Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) de Pernambuco.

    “O Parqtel já tem contribuído para o desenvolvimento de Pernambuco e agora, com essa inauguração, a gente ganha a presença da UPE aqui dentro. É só ver pelas instalações que foram feitas, que é o que há de mais moderno no mundo. Isso vai contribuir para a tecnologia e para as novas etapas de produtividade que vão tornar Pernambuco cada vez mais conectado com o mundo”, afirmou o governador Paulo Câmara.

    Com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco (FACEPE), da Universidade de Pernambuco e empresas privadas, o edifício conta com 1.600m² de área construída. Sua estrutura dispõe de quatro pavimentos e está preparada para receber oito laboratórios de Pesquisa e Desenvolvimento (Manufatura Avançada, Energias Renováveis, Biotecnologia, Sistemas Construtivos, Optoeletrônica, Sistemas Ciber-físicos, Data Science e Telemática e Visão Computacional) e nove laboratórios de inovação, que serão utilizados pelas empresas parceiras para a finalização de produtos e processos tecnológicos. Os laboratórios foram projetados para conciliar com os programas de pós-graduação da UPE.

    O reitor da UPE, Pedro Falcão, reafirmou a importância da instituição na nova empreitada. “Nós já tínhamos a presença do Governo do Estado e da indústria e agora chega a academia para fechar essa tripla hélice em inovação. E a gente inaugura justamente no dia da assinatura do Marco Legal em Ciência e Tecnologia do Estado. Para mim é um dia que vai ficar para a história da universidade”.

    MARCO LEGAL – Um novo Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação foi sancionado pelo Governo do Estado. O anteprojeto de lei, aprovado há pouco na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), é destinado a modernizar a gestão da CT&I em Pernambuco, além de nivelar-se com o Marco Legal de CT&I Nacional.

    Os principais pontos aos quais a nova lei se refere são o estímulo à cooperação entre os setores público e privado, com vistas à promoção de avanços em CT&I, o estabelecimento de um novo modelo de implementação das políticas de CT&I, e o fornecimento de mecanismos que permitem a participação de universidades, centros de pesquisas público-privado e empresas no processo de inovação. O Marco também busca favorecer a criação de estímulos para inovação nas empresas e na difusão de startups.

    “O governador sancionou uma lei complementar, que é o novo Marco de Ciência e Tecnologia de Pernambuco. Ela se insere como uma vertente da estratégia nacional de modificação da forma de atuação dos sistemas de tecnologia e, dessa forma, Pernambuco está preparado para ser parceiro nacional de qualquer projeto e criar condições efetivas de uma integração entre os atores do sistema de inovação”, esclareceu Lúcia Melo, secretária estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação.

    NOVOS PROJETOS – No mesmo evento foram lançados os programas Centelha-PE e o TECNOVA II, ambos da FINEP em parceria com a FACEPE. O Centelha-PE tem como objetivo incentivar a criação de projetos inovadores, através de incubadoras e aceleradoras de empresas, espaços de coworking, parques e polos tecnológicos. O edital tem previsão de lançamento até abril de 2019 e pretende contratar, em média, 28 empreendimentos inovadores. O programa já tem R$ 1,6 milhão em recursos garantidos.

    Já o TECNOVA II publicará o seu edital no início de 2019. O propósito será apoiar microempresas e empresas de pequeno e médio porte na criação de projetos de desenvolvimento de produtos e/ou processos que envolvam risco tecnológico. Com recursos da Subvenção Econômica, os investimentos são em torno R$ 2 milhões.

    Participaram do evento, o secretário Alexandre Valença (Micro e Pequenas Empresas); o deputado estadual, Joaquim Lira; o presidente da FACEPE, Abraham Sicsú; e o diretor do Departamento de Fomento à Interação de Ciências Ópticas da Inovação, Marcelo Camargo.

      

    Leia Mais
  • Secti e UPE inauguram, nesta terça-feira (18), Instituto de Inovação Tecnológica no Complexo do Parqtel

    17 dezembro 2018
    603 Views
    Comments are off for this post

    Além da inauguração do novo equipamento da UPE, também serão lançados dois novos programas da Facepe e sancionado o projeto de lei complementar que institui o Marco Legal de CT&I de Pernambuco  

    O governo de Pernambuco, através da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), inaugura nesta terça-feira (18/12), às 9h, o Instituto de Inovação Tecnológica da Universidade de Pernambuco (ITT/UPE), instalado no Complexo do Parqtel (Parque Tecnológico de Eletroeletrônicos). A inauguração do Instituto acontece em meio às comemorações de 30 anos da Secti e vai reforçar a integração dos Habitats de Inovação, promovendo inovação tecnológica a partir de pesquisa e desenvolvimento e a interação entre a academia e a indústria local.

    Com 1.600m² de área construída e um custo de R$ R$ 6,9 milhões (recursos da Finep, CNPQ, Facepe, UPE e empresas privadas), o prédio conta com quatro pavimentos e está estruturado para receber oito laboratórios de Pesquisa e Desenvolvimento (Manufatura Avançada, Energias Renováveis, Biotecnologia, Sistemas Construtivos, Optoeletrônica, Sistemas Ciber-físicos, Data Science e Telemática e Visão Computacional) e nove laboratórios de inovação, os quais serão utilizados pelas empresas parceiras para a finalização de produtos e processos tecnológicos, desenvolvidos nos projetos fomentados pelas empresas. Os laboratórios foram concebidos em alinhamento aos programas de pós-graduação da UPE e às diversas demandas da indústria local e nacional. O IIT conta ainda com espaço de convivência, salas para reuniões e um auditório.

    Na ocasião também serão lançados os programas Centelha-PE e o TECNOVA II da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) em parceria com a Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco (FACEPE). O primeiro, Centelha-PE, vai estimular a criação de empreendimentos inovadores, a partir da geração de novas ideias em incubadoras e aceleradoras de empresas, espaços de coworking, laboratórios abertos de prototipagem, parques e polos tecnológicos. A meta é contratar até 28 empreendimentos inovadores com valor máximo de R$ 60 mil cada. O edital deverá ser lançado até abril de 2019 e o Programa já tem R$ 1,6 milhões em recursos garantidos (recursos da Finep e Facepe).

    Já o programa TECNOVA II vai apoiar, com recursos de Subvenção Econômica, microempresas e empresas de pequeno e médio porte com projetos de desenvolvimento de produtos e/ou processos inovadores que envolvam riscos tecnológicos. Os recursos são da ordem de R$ 2 milhões e o edital também deverá ser publicado no início de 2019.


    Marco legal de CT&I de Pernambuco

    Aprovado recentemente na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o anteprojeto de lei complementar destinado a instituir, em nível estadual, o Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação será sancionado durante as comemorações de 30 anos da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti).

    Após diversas reuniões para discutir junto a parceiros no Governo do Estado e representantes da academia e sociedade civil, o Marco Legal de CT&I vai modernizar a gestão da CT&I em Pernambuco e alinhar o Estado ao Marco Legal Nacional de CT&I.

    Entre os principais aspectos da nova legislação estão o estímulo à cooperação entre os setores público e privado, com vistas à promoção de avanços em CT&I, o estabelecimento de um novo modelo de implementação das políticas de CT&I, onde o foco passa a ser o do resultado mediante sistemáticas de avaliação e monitoramento, e o fornecimento de mecanismos que permitem a participação de universidades, centros de pesquisas público-privado e empresas no processo de inovação. A nova lei também busca favorecer a criação de estímulos para inovação nas empresas e para difusão de startups.

    A nova legislação revoga a Lei no 13.690, de 16 de dezembro de 2008 (Lei Estadual de Inovação) e alterando a Lei no 14.547, de 21 de dezembro de 2011 (Lei de Contratação por Tempo Determinado – CTD). E se alinha ao Marco Legal Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação instituído pela Emenda Constitucional 85/2015, pela Lei 13.243 de 11 de janeiro de 2016 e pelo Decreto 9.283 de 7 de fevereiro de 2018.

    Leia Mais