• Movimento 100 Open Startups selecionará empresas do Recife

    31 outubro 2016
    678 Views
    Comments are off for this post
    A Secti-PE, Parqtel e Porto Digital promovem a etapa regional do Movimento 100 Open Startups, que será realizado às 9h do dia 03/11 (quinta-feira) no auditório da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco (SECTI-PE), no bairro do Recife.
    O 100 Open Startups é uma plataforma patrocinada por empresas globais que em conjunto avaliam e classificam startups de todo o mundo. As startups mais atraentes são selecionadas pelas grandes empresas para colaborarem no desenvolvimento de inovações de alto impacto para a sociedade e para o mercado. A etapa a ser realizada na SECTI selecionará startups para participarem da etapa nacional em São Paulo, onde terão a oportunidade de encontrar Investidores e executivos de grandes empresas visando parcerias, contratos e investimentos.
    O evento será aberto pela secretária Lúcia Melo, contará com uma apresentação da plataforma e seguirá com pitchs de startups do Nordeste, pré-selecionadas online, as quais serão avaliadas por banca composta de investidores, especialistas e executivos presentes no local.
    Mais informações e inscrição: https://www.sympla.com.br/participantes-encontro-capital-da-inovacao-recife__97773.
    Leia Mais
  • 22ª Ciência Jovem receberá 10 mil pessoas

    31 outubro 2016
    527 Views
    Comments are off for this post

    Uma das três maiores feiras de ciências do país, o evento reunirá 270 trabalhos de cinco países, entre os dias 9 e 11 de novembro

    A Ciência Jovem chega a sua 22ª edição com a expectativa de atrair cerca de 10 mil pessoas ao Shopping Paço Alfândega, onde será promovida entre os dias 9 e 11 de novembro. Uma das três maiores feiras de ciências do país, o evento apresentará 270 trabalhos de cinco países e é a única mostra a garantir a presença de trabalhos de todos os estados do Brasil.

    A participação da rede estadual de ensino é destaque na feira. No ano passado, 2/3 das escolas participantes da Ciência Jovem eram públicas. Em 2016, o evento contará com a participação de 100 escolas estaduais de Pernambuco. “Nenhuma outra feira tem uma adesão tão grande do ensino público. Valorizamos os projetos desenvolvidos de forma integrada ao currículo da escola e trabalhados durante todo o período letivo”, destaca o diretor executivo do Espaço Ciência, Antonio Pavão.

    Para Pavão, a feira de ciências deve ser vista como uma revolução pedagógica.  “Através dela, incentivamos um ensino investigativo e experimental nas escolas. Queremos que os estudantes desenvolvam trabalhos durante todo o ano letivo e que a Ciência Jovem seja um grande espaço de exposição. A participação no evento já uma vitória”, comenta.

    Dividida em cinco categorias, a feira premiará alunos da Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio, Educação especial, além de estudantes de escolas estrangeiras. O Espaço Ciência financiará a vinda de uma equipe de alunos de escolas públicas de cada estado do Brasil.

    Transporte

    O Espaço Ciência oferecerá transporte gratuito para a feira, durante seus três dias de duração. A partir das 10 horas da manhã, de uma em uma hora, os ônibus partirão do museu com destino ao Paço Alfândega. Também será possível fazer o caminho inverso. As viagens serão organizadas através da distribuição de fichas, que poderão ser adquiridas na recepção do Espaço Ciência ou no balcão de recepção do shopping.

    Serviço// 22ª Ciência Jovem
    Local: Shopping Paço Alfândega, Bairro do Recife, Recife-PE
    Datas: 9 a 11 de novembro
    Horário: das 10 às 13 horas; das 14 às 18 horas
    Entrada: Gratuita 

    Leia Mais
  • Pernambuco sai na frente e implanta clubes de  programação nas escolas da Rede Estadual

    27 outubro 2016
    522 Views
    Comments are off for this post

    Foto: Aluísio Moreira/SEI

    Alunos e professores de escolas da Rede Estadual de Ensino foram apresentados, nesta quinta-feira (27.10), a um novo e inovador instrumento pedagógico: o Projeto Pernambucoders. A ação visa estimular o interesse de crianças e jovens por programação, aumentando a atratividade nas unidades de ensino e o futuro potencial econômico local. Neste primeiro momento, nove escolas da Região Metropolitana do Recife (RMR) serão beneficiadas pela iniciativa, por dois anos. Lançado pelo governador Paulo Câmara na Aceleradora Jump, no Recife, o projeto é fruto de uma parceria entre Governo do Estado, Porto Digital, CESAR, Universidade Federal Rural de Pernambuco e a Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex-PE).

    Participaram da solenidade a secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, Lúcia Melo; o deputado estadual Waldemar Borges; o presidente do Porto Digital, Francisco Saboya; o presidente do Conselho do Porto Digital, Silvio Meira; o presidente do Conselho do CESAR, Geber Ramalho.

    Ao destacar a importância do estímulo à inovação na formação da vida profissional dos pernambucanos, Paulo Câmara afirmou que a nova disciplina será um diferencial. “Quem domina ou tem conhecimento em programação tem oportunidade de se colocar em bons empregos. A ação também será fundamental na formatação da escola pública que queremos para o futuro e para a melhoria da geração de renda para os jovens”, assegurou o governador. Ele disse ainda: “Programação não é só matemática, tem a lógica, a maneira de pensar e de ver o mundo”.

    O programa implantado na rede pública do Estado segue os preceitos do Code Club, rede mundial de atividades extra-curriculares que tem o objetivo de ensinar programação de computadores às crianças. Aqui, uma cadeia de profissionais cedidos pelos parceiros vão conduzir os estudos produzidos nas unidades de ensino credenciadas no programa. Monitores experientes poderão se tornar tutores e alunos veteranos poderão assumir monitoria do projeto.

    Para o secretário de Educação, Frederico Amâncio, o projeto também vai aumentar o desempenho dos alunos nas demais disciplinas escolares. “Vamos trazer essa novidade para as escolas locais. Em dois anos, o projeto vai atender 2,1 mil estudantes. Após esse período de experiência, vamos avaliar os resultados e discutir como será a expansão do programa”, explicou Fred, pontuando ainda que foi investido R$ 1 milhão na melhoria de laboratórios e pagamento de bolsas de tutores e monitores.

    O projeto funcionará da seguinte forma: cada escola contará com duas turmas por semestre, sendo cada uma com capacidade para 20 a 30 estudantes, com dois monitores por turma. Um Núcleo de Coordenação e Estudos cuidará do acompanhamento e análise da evolução dos estudantes, além de avaliar os impactos da iniciativa no aprendizado deles. Das nove escolas selecionadas pelo projeto, três são do Fundamental, e seis do Ensino Médio.

    De acordo com o presidente da Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex-PE), José Claudio, o mercado está em expansão e necessita de novos talentos para suprir a demanda. “Hoje, tudo depende de TI. É a industria da manufatura 4.0”, afirmou o executivo. Ele frisou ainda que os jovens precisam de novas oportunidades. “Essa é uma demanda que dialoga com o futuro do Estado”, frisou José Claudio.

    OPORTUNIDADE E INCLUSÃO – O aluno da rede municipal do Recife Gabriel Leite foi campeão, em 2015, da Olimpíada Brasileira de Robótica e não escondia a satisfação em ter o apoio do Estado para continuar o seu projeto profissional: se tornar um engenheiro mecatrônico. Para o recifense de 15 anos, a implantação dos clubes de programação é uma oportunidade de continuar se aperfeiçoando na área. “O meu sonho é ser engenheiro e quem sabe trabalhar na Jeep, em Goiana”, revelou o aluno da EREM Porto Digital, no Recife.

    Já a jovem Maria Eduarda da Silva, de 16 anos, é uma estreante no segmento que Gabriel domina. Aluna da Escola Estadual Cônego Rochael de Medeiro, no Recife, ela é surda e vê no projeto uma oportunidade de criar métodos para melhorar a comunicação. “Vou estudar para vencer os obstáculos. Essa é uma oportunidade única para nós”, afirmou a estudante, lembrando que terá a companhia de outras 11 colegas surdas no Projeto Pernambucoders.

    Para o monitor do projeto na EREM Porto Digital, Pedro Silva, a expectativa é que a integração proporcionada pelos clubes amplie os horizontes dos jovens. “A gente quer trazer os jovens para esse universo tão rico em conhecimento. A gente espera abrir a mente deles, despertando novos interesses”, disse Pedro. Ele contou que 60 pessoas disputaram as 25 vagas do projeto. “Assim como os alunos, nós também passamos por um processo seletivo”, revelou o monitor.

    Lista de unidades beneficiadas com o Projeto Pernambucoders:

    Ensino Fundamental:
    Escola Estadual Ministro Jarbas Passarinho, em Camaragibe
    Escola Estadual Eneida Rabelo, no Recife
    Escola Estadual Cônego Rochael de Medeiro, no Recife

    Ensino Médio (regular):

    Escola Estadual Saturnino de Brito, em Jaboatão dos Guararapes
    Escola Estadual Guedes Alcoforado, em Olinda
    Escola Estadual de Paulista, em Paulista

    Ensino Médio (integral):

    Escola de Referência em Ensino Médio Porto Digital, no Recife
    Escola de Referência em Ensino Médio Augusto Severo, em Jaboatão
    Escola de Referência em Ensino Médio Floriano Peixoto, em Olinda

    Leia Mais
  • Valor Econômico: Receita cai, mas gasto com inovação não

    27 outubro 2016
    757 Views
    Comments are off for this post

    Reportagem publicada no Jornal Valor Econômico de 25/10/2016
    Link da matéria:
    http://www.valor.com.br/empresas/4754647/receita-cai-mas-gasto-com-inovacao-nao

    Apesar de registrarem uma queda de 11,8% na receita total, as mil companhias que mais investem em pesquisa e desenvolvimento (P&D) no mundo mantiveram os patamares de gastos em novos produtos e serviços em 2016. Os desembolsos dessas empresas com P&D somaram US$ 679,8 bilhões. Os dados constam de pesquisa anual da Strategy&, consultoria da PwC.

    A receita de seis entre nove setores analisados diminuiu este ano, especialmente nas áreas de química e petróleo e telecomunicações. Segundo Eduardo Fusaro, sócio da Strategy&, como os investimentos foram mantidos, a intensidade dos gastos com P&D está em seu maior patamar histórico, de 4,2%, visto pela última vez em 2005.

    valor

    Entre as empresas que mais investiram em inovação no mundo, a Volkswagen puxa a lista com US$ 13,2 bilhões. Samsung, Amazon e Alphabet (Google) ficam nas posições seguintes. A Apple aparece em 18º lugar, com gastos de US$ 8,1 bilhões. Apesar disso, na pesquisa qualitativa, que considera a opinião de líderes empresariais, a a Apple mantém a primeira posição como a empresa mais inovadora do mundo.

    O Brasil perdeu três representantes na lista das mil empresas que mais investem em P&D em 2016. Agora conta apenas com Petrobras, Vale e Embraer. Deixaram o ranking Totvs, Weg e Natura. Entre as empresas que permaneceram, a Embraer ganhou algumas posições, mas Petrobras e Vale ficaram em colocações mais baixas.

    As três empresas brasileiras presentes no ranking aplicaram US$ 1,29 milhão em P&D em 2016, contra R$ 1,43 milhão em 2015, correspondente à queda de 9,4%. Na comparação anual as receitas dessas companhias recuaram 3%, para US$ 130,5 milhões. “A combinação da desvalorização do real ante o dólar e da recessão econômica em 2015 afetou de forma muito negativa os resultados das empresas brasileiras”, diz Fusaro.

    Softwares e serviços estão impulsionando os investimentos globais neste ano. Os recursos destinados a eles chegam a 58% do total e devem alcançar 68% em cinco anos, segundo o levantamento da Strategy&, que também publica anualmente, em parceria com o Valor, o ranking das empresas mais inovadoras do Brasil.

    Os equipamentos físicos (hardware) representavam metade dos investimentos em P&D em 2010, mas a relação caiu para 42% em 2015 e tende a recuar mais 10 pontos percentuais até 2020.

    O setor de software e internet recebeu o mais forte aumento de aportes, com alta de 15,4% na comparação com 2015. A alocação no setor de saúde subiu 3,6% e, em consumo, 0,7%. “Os dois primeiros setores se beneficiam de novas tecnologias e têm muito a caminhar até alcançar a maturidade, o que justifica os investimentos. Em consumo, a alta acompanha a inflação e é justificada pela necessidade de renovar as linhas levadas às prateleiras”, afirma Fusaro.

    A indústria de computação e eletrônicos abocanhou a maior parte dos investimentos em P&D em 2016, com fatia de 24%, seguida pelos setores de saúde (22,1%), automotivo (15,4%) e software e internet (12,9%). Em 2018 a indústria de software deve tomar a liderança, aponta o estudo.

    Pela primeira vez a América do Norte elevou o número de empresas na lista, de 348 para 381. A Europa caiu de 244 para 233 e o Japão, de 181 para 165. Já a China viu o número de companhias presentes no ranking subir de 123 para 130.

    Os investimentos em P&D na América do Norte subiram 8% no ano, para US$ 297 bilhões. A maior alta, ocorreu na China, de 19%, para US$ 47 bilhões. Os gastos em inovação na Europa recuaram 9%, para US$ 182 bilhões, e no Japão caíram 8%, para US$ 101 bilhões.

     

    Leia Mais
  • Facepe divulga resultado do Researcher Links 2016 – Vírus Zika

    25 outubro 2016
    458 Views
    Comments are off for this post

    A Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE) divulga o resultado do edital Researcher Links 2016/2017. O projeto com tema “Smart Techonology for fighting Zika-Virus Epidemics”, da Universidade de Pernambuco (UPE Recife e RMR) foi  selecionada e terá um investimento de R$93 mil.

    O objetivo é reunir especialistas sobre arboviroses, principalmente sobre o vírus ZIKA, usando tecnologias inteligentes que possam aprofundar eventuais vantagens oferecidas pela flexibilidade, capacidade de generalização e adaptabilidade do vírus. De acordo com a proposta, auxiliará na detecção e análise de uma forma mais eficaz, bem como uma visualização do ambiente micro e macro para o combate não só do vírus com tais ferramentas, mas também proporcionar a melhoria no bem-estar social e na saúde.

    O workshop irá capitalizar a experiência conjunta de saúde pública da Universidade de Pernambuco e da Universidade Federal de Sergipe na luta contra arbovírus e os conhecimentos da London South Bank University sobre as tecnologias inteligentes. Em particular, a proposta está centrada em utilizar ferramentas inteligentes para promover a conscientização das epidemias Zika, estimular o pensamento criativo  ao investigar cruzadas adubações de temas para a oficina.

    O edital Edital 03/2016  é uma parceria da FACEPE com o Conselho Britânico (British Council) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Sergipe (Fapitec) com recursos do Fundo Newton e das FAPs (PE e SE). Este ano, trouxe temáticas como o Zika Vírus na perspectiva das áreas de Saúde ou Doenças negligenciadas, a Engenharia, Tecnologia da Informação e Ciências Humanas; e Energias Renováveis.

    Fundo Newton – integra o sistema de assistência oficial para o desenvolvimento do governo britânico com o intuito de desenvolver parcerias em ciência, tecnologia e inovação para promover o desenvolvimento econômico e o bem-estar em países emergentes.

    Researcher Links – editais temáticos para apoiar workshops científicos que sirvam como plataformas entre cientistas brasileiros e britânicos. Os dois coordenadores podem identificar quatro outros pesquisadores líderes, dois de cada país, para participar como mentores, e os demais devem ser pesquisadores em início de carreira de ambos os países.

    Para conferir o resultado, acesse: www.facepe.br

    Leia Mais